Seguidores

domingo, 4 de setembro de 2011

Carta de Leonardo Boff aos professores de MG


Estou estarrecido face à insensibilidade do Governador Anastasia face a uma greve dos professores e professoras por tanto tempo. Ele precisa ser inimigo de sua própria humanidade para fazer isso. 

Ele não ama as crianças, não respeita seus pais, despreza uma classe de trabalhadores e trabalhadoras das mais dignas da sociedade, aquelas pessoas a quem nós confiamos nossos filhos e filhas para que recebam educação e aprendam a respeitar os outros e a acatar as autoridades que foram eleitas para cuidar dos cidadãos. 

Essa intolerância mostra falta de coração e de compaixão no sentido mais nobre desta virtude que é sentir a necessidade do outro, colocar-se ao seu lado para aliviar seu padecimento e resgatar a justiça mínima de um salário necessário para a vida. 

Recordo as palavras da revelação consignadas no livro do Eclesiástico capitulo 34 versículo 27: “Derrama sangue, quem priva o assalariado de seu salário".

Não queremos um governador que aceita derramar sangue por não querer ceder nada aos professores e professoras que pedem o que é minimamente certo e justo. 

Quero me solidarizar com todos vocês e apoiar as revindicações que estão formulando. 

Com meus melhores votos e também preces diante dAquele que sempre escuta o grito dos oprimidos e injustiçados.

 Leonardo Boff 

Teólogo e escritor

2 comentários:

Karla Kayrone disse...

Passei e peguei o seu link, agora leve o meu com você!!! Bjos.. Amei o comentário!!!

Rose disse...

Há muita insensibilidade no país, principalmente com os doentes.
Mas tem um governador que recomendou que os professores não trabalhassem por salário, mas por amor.
Outros não aplicam o mínimo determinado em lei ao setor de saúde.
A carta do teólogo deveria também ser dirigida aos governantes companheiros.

Related Posts with Thumbnails

.

 
Topo